Com ambulâncias quebradas, moradores reclamam e vereador se acorrenta em hospital de Iranduba

October 25, 2017

 

 

Moradores de Iranduba, na Região Metropolitana de Manaus, afirmam que as cinco ambulâncias que deveriam realizar atendimento no município estão paradas. Nesta terça-feira (24), um vereador da cidade chegou a se acorrentar no Hospital Hilda Freire como protesto pelo problema. Sem as ambulâncias, uma Kombi passou a ser usada.

 

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), informou que a nova gestão está trabalhando há 20 dias, após a posse do novo governador do Amazonas, e que já tem ciência do problema. “A secretaria trabalha, no momento, para buscar uma solução no menor espaço de tempo possível, que passa pela manutenção das ambulâncias em condições de serem recuperadas ou a aquisição de novas. Enquanto esse processo ocorre - obedecendo a tramitação legal necessária -, as demandas emergenciais de municípios como Iranduba são atendidas pontualmente por ambulâncias das unidades da capital”, informou a pasta.

 

A secretária de saúde do município, Rose Ebling, informou à Rede Amazônica que o hospital atende casos de alta e média complexidade, e que o município é responsável pela atenção básica à saúde.

 

A direção do hospital informou à Rede Amazônica, por telefone, que a última ambulância parou de funcionar há 30 dias, mas outras já apresentam problemas há cerca de dois anos. A direção disse ainda que a Kombi que passou a ser usada também apresentou problemas mecânicos nos últimos dias.

Sem alternativas, a colônia de pescadores do município disponibilizou uma van para ajudar o hospital a fazer o transporte de pacientes. Segundo populares, o veículo não é suficiente e adequado para atender as necessidades dos doentes.

 

 

O estudante Hélio Cruz de Souza é um dos moradores do reclamam da situação. Ele afirmou que um amigo com problemas renais precisou ser transferido para Manaus, mas a transferência não foi possível por conta dos problemas nas ambulâncias.

“Ele [amigo doente] chegou aqui no hospital por volta das 5 horas da tarde. Eu vi a situação de desespero dos familiares aqui. Não tinha ambulância no momento. Só tinha uma Kombi, que só pegava aos empurrões”, disse Souza.

 

Acorrentado

Em protesto, o vereador George Reis (PV) se acorrentou em frente ao hospital na tarde desta terça-feira. A assessoria do parlamentar informou que ele pretende dormir no local. “Isso é inadmissível. O governo do estado tem que olhar por Iranduba”, disse à Rede Amazônica.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now