Aeroporto Internacional Eduardo Gomes é eleito o sétimo melhor do País

February 6, 2017

O Aeroporto Internacional Eduardo Gomes encerrou o ano de 2016 como o sétimo melhor do País, segundo Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, da Secretaria de Aviação Civil (SAC). O custo-benefício da alimentação vendida no aeroporto de Manaus foi a maior insatisfação dos passageiros.

 

Em uma escala que vai de 1 a 5, o aeroporto de Manaus recebeu a nota 4,34, assim como o de Porto Alegre. A nota se refere à pesquisa realizada em outubro, novembro e dezembro de 2016. Em todo o País, foram ouvidos 14.085 passageiros nos 15 aeroportos que movimentam 80% dos viajantes, neste período. Em Manaus, foram feitas 975 entrevistas.

 

A maior insatisfação dos passageiros foi o custo-benefício dos produtos de lanchonetes e restaurantes, que recebeu nota de 2,96. Em janeiro de 2016, o Ministério Público Federal no Amazonas (MPF) chegou a recomendar à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) que fiscalizasse os preços dos produtos oferecidos nas lanchonetes instaladas no Aeroporto Eduardo Gomes, que deveriam ser compatíveis com os praticados no mercado.

 

O MPF também recomendou que a Infraero transferisse a lanchonete popular, o ‘Café Aviador Brasil’, para um local de fácil visualização e identificação pelo público. A lanchonete estava instalada no setor de desembarque e possuía 15 itens com preço tabelado.

 

Na pesquisa de satisfação, a quantidade e qualidade de lanchonetes e restaurantes (3,42) e a quantidade e qualidade de estabelecimentos comerciais (3,21) do aeroporto de Manaus receberam notas medianas. A qualidade da internet wi-fi (sem fio) também é motivo de insatisfação para os passageiros. Este quesito recebeu a nota 3,61.

 

Os passageiros avaliaram o tempo de fila no check-in no autoatendimento (4,62) e no guichê (4,49), como bons. De acordo com a pesquisa, o tempo médio de espera na fila de check-in no balcão caiu de 21 minutos no quarto trimestre de 2015 para 12 minutos no mesmo período de 2016.

 

O tempo de fila na imigração (4,58) e a disponibilidade de transporte público para o aeroporto (4,57) também foram bem avaliados.

 

Nova gestão

O terminal de Manaus terá a sua administração sob a responsabilidade de uma ‘Nova Infraero’, a ser criada pelo governo, que terá a participação acionária dividida com a iniciativa privada. O anúncio foi feito na última sexta-feira, pelo secretário de Aviação Civil, Dario Rais Lopes, ao adiantar que essa nova empresa também vai administrar os aeroportos de Congongas (SP), Santos-Dumont (Rio) e Curitiba (PR).

 

Enquanto prepara a nova empresa, o governo iniciou processo para elevar o número de operações em Congonhas em uma solução semelhante à usada em terminais antigos dos EUA.

 

Considerado a "joia da coroa" da aviação comercial no Brasil pela localização central, o aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, deverá ser o principal ativo de uma nova subsidiária da Infraero.

 

D24am

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now