Será que o sistema carcerário brasileiro tem jeito? Veja o Centro de Detenção de Lucas do Rio verde

January 15, 2017

 

O problema do sistema carcerário no Brasil é gigantesco, este texto está longe de apresentar todos os motivos pelos quais esta sistemática se apresenta defeituosa, muito menos tem a pretensão de indicar todos os métodos de resolver tal problemática. Todavia, o desenvolvimento de projetos- como o que será logo mais apresentado neste texto- se manifesta como uma boa solução para o conjunto de dificuldades existentes na estrutura carcerária.

 

A respeito disso, nem é preciso ir para outro país para fazer uma comparação desleal na busca de projetos que tenham funcionado, pois, o Centro de Detenção Provisória de Lucas do Rio Verde, localizado em Lucas do Rio Verde – Mato Grosso, é a prova de que o sistema carcerário- ainda que com muito trabalho- tem jeito, basta um querer mútuo dos órgãos competentes, bem como o incentivo da sociedade.

 

 

É triste pensar que apenas após uma tragédia passem a se dar conta de que existem falhas graves em nosso sistema que comprometem a vida de todos nós.  A falta de projetos que visem mudar a situação na qual se encontra o sistema carcerário brasileiro traz consequências nocivas a todos que vivem na sociedade na qual o sistema se demonstra defeituoso e não apresenta qualquer expectativa de mudança. Afinal , a sociedade faz parte do sistema, se o sistema é falho, a coletividade certamente sofrerá com os resultados.  O clima tenso vivido pela população na Capital do Amazonas, com as rebeliões, os massacres e os assaltos constantes são reflexos da crise no sistema carcerário há tempo existente no país, situação a qual não se pode mais ignorar.

 

Todavia, em tempos de instabilidade, adequado se faz demonstrar a existência de projetos que são uma verdadeira oportunidade de mudança na estrutura carcerária, na vida de detentos e dos demais indivíduos que compõe a coletividade. A exemplo disso existe o projeto Vida Nova no Centro de Detenção Provisória de Lucas do Rio Verde, iniciado a partir de uma parceria formada por uma empresa particular e a Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde.

 

Com a proposta da reinserção social, em 2014, a Prefeitura de Lucas do Rio Verde inaugurou dentro do CDP o Espaço de Trabalho e Produção Vida Nova. O projeto consiste em qualificar o trabalho dos recuperandos com a fabricação de artefatos de cimento, como blocos, pavers e telhas.

 

A fábrica de blocos garante emprego para 20 detentos do regime fechado, que são escolhidos por bom comportamento e por já terem cumprido um sexto da pena. Além da experiência profissional e um salário no fim do mês, os reeducandos recebem o benefício da redução da pena, onde, a cada três dias trabalhados, um dia a menos na cadeia. 

 

“Desde que iniciamos esse trabalho aqui em Lucas do Rio Verde não houve reincidência de retorno para a criminalidade e onde hoje aumentamos o número de recuperados atendidos nesse projeto”, disse o diretor Elison Douglas da Silva.

 

Para um dos detentos beneficiados pelo projeto, “essa é uma oportunidade de mudança que estão nos dando, além da dignidade que pensávamos ter perdido”, disse ele.

 

DETENTOS TRABALHARAM NA CONSTRUÇÃO DE SALAS DE AULA NO CDP DE LUCAS DO RIO VERDE

A mão-de-obra empregada na construção foi dos próprios detentos, através do projeto ‘Vida Nova’. Para a realização da obra, a unidade prisional contou com apoio da prefeitura municipal, Ministério Público e Poder Judiciário.

 

As salas de aula compõem uma área de 100 metros quadrados, e contam com banheiro, cobertura com estrutura metálica e áreas para o professor e para os alunos.

 

O espaço é destinado à educação de ensino fundamental, ensino técnico e profissionalizante e atividades que visam a ressocialização dos recuperandos.  

 

Muitos além de apenas salas de aula, os presos construíram esperança. 

 

O juiz da 4ª Vara da Comarca de Lucas do Rio Verde, Hugo José Freitas da Silva, pontuou que “É preciso pensar que esses recuperandos, mais cedo ou mais tarde vão ganhar a liberdade, nessa perspectiva não adianta apenas coloca-los dentro dessa estrutura, como se fosse um objeto, mas sim qualifica-los, reeduca-los para o retorno para a sociedade, a educação tem papel fundamental nesse aspecto”.

 

O diretor da unidade, Renato de Luna Dantas, ressaltou que estas iniciativas são muito importantes para a recuperação destas pessoas. “Nós temos que fazer algo para o recuperando enquanto ele está aqui para que ele retorne para a sociedade de forma digna e não venha cometer mais crimes. Acreditar que na volta à sociedade, tendo essa chance aqui, irão aplicar o que foi colocado na questão da educação”.

 

De acordo com a secretária municipal de Assistência Social e Habitação, Janice Ribeiro, a qualificação profissional e a educação são fundamentais para que os recuperandos retornem ao mercado de trabalho com mais oportunidades. “Para nós é sempre um avanço poder participar, principalmente aqui onde tem muitos problemas sociais. Oferecemos essas salas de aula, onde as pessoas vão poder se qualificar e procurar o conhecimento para que quando elas forem sair daqui, encontrem lá fora uma sociedade apta a acolhe-los”.

 

O recuperando Diego Luds, participante da oficina de canto, relatou que o sistema carcerário do Brasil é muito precário, mas graças ao empenho da sociedade na execução desses projetos é possível alavancar novas oportunidades para que os recuperandos sejam transformados.

 

“Ficamos muito felizes com essas salas, tem muitas pessoas aqui dentro que não sabem ler, pessoas que não tem nem o ensino escolar, então essa sala de aula veio para ajudar muito as pessoas que não sabem ler. Dentro da própria cela a gente começa a ensinar o pouco que a gente sabe e as pessoas se esforçam, imagina agora que tem a sala de aula e os professores. Nós agradecemos muito as autoridades, pelas pessoas que confiaram a depositaram todo o crédito, sabemos que é uma coisa que pode se expandir mais. Muitas pessoas vão sair daqui lendo e estudando e quem sabe fazer um curso, concurso, uma pessoa educada e socializada, muito diferente de quando entramos aqui”, finalizou.

 

É preciso dar oportunidade a todos, o projeto Vida Nova é um exemplo que deve ser seguido.  É por intermédio de programas como este que pequenas mudanças no presente vão gerando grandes transformações favoráveis para o futuro.

 

Essa matéria só foi concluída com ajuda de alguns portais de notícias locais (MT)  aqui estão eles:

-Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso

-Ideal MT

-MT agora

 -Expresso MT

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now