FRED MOTA PARTICIPA DE REUNIÃO EM DEFESA DO SETOR ELÉTRICO E PELA QUALIDADE DE SERVIÇO À POPULAÇÃO A


O vereador eleito no pleito deste ano, Fred Mota (PR), participou de uma reunião com a direção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amazonas (STIUAM), para tratar das privatizações das empresas distribuidora de energia elétrica no Amazonas.

Durante a reunião foi destacado que no governo FHC, na tentativa de privatizar a empresa de Energia elétrica no Amazonas, a população sofreu com inúmeras consequências, tais como: apagões, valor exorbitante da conta de energia elétrica, demissões de trabalhadores e precarização dos serviços.

Fred Mota, enfatizou durante a reunião que a privatização da energia em nosso Estado, poderá trazer prejuízos aos consumidores, além de explorações ilegais.

“Não há como não se preocupar, com essa privatização, pois é bem possível que as fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM), sejam também bastante afetadas, causando demissões e desemprego. E por consequência, também precisamos estar atentos, com a biopirataria. A privatização poderá trazer o aumento do preço da energia, a com isso, o povo mais humilde e trabalhador é que vai pagar a conta mais alta”, destacou o parlamentar.

O presidente do STIUAM, Edney da Silva Martins, alertou que nos Estados brasileiros onde as empresas foram privatizadas as consequências foram extremamente negativas à população.

“No Rio de Janeiro, a Light, privatizada em 1996, no primeiro ano de gestão elevou a tarifa em 140%, sendo que os consumidores residenciais e comerciais foram os que pagaram o preço, mais da metade dos trabalhadores foram demitidos, investimentos deixaram de serem realizados contribuindo para a precarização dos serviços. No Estado do Pará, a CELPA, privatizada em 1997, sob a nova gestão privada elevou sua tarifa em 280% o que não evitou sua chegada à beira da falência, conforme o Ministério Público Estadual os novos proprietários priorizaram a divisão dos lucros da empresa, deixando de lado a necessidade dos serviços à população. No Maranhão não foi diferente onde o aumento da tarifa chegou a 400%”, disse o presidente.

Ao finalizar a reunião, Edney explicou que a energia elétrica no Estado do Amazonas vai além de um serviço público, torna-se uma dívida social da União com o povo amazonense, considerando que os governos passados pouco investiram no sistema local, prejudicando o desenvolvimento socioeconômico do Estado, principalmente nos municípios do interior do Estado que merecem mais atenção considerando as suas peculiaridades.

O vereador Fred Mota (PR), disse levar a discussão do tema para uma audiência pública dentro da Câmara Municipal de Manaus (CMM), ainda no inicio dos trabalhos legislativos de 2017.